Potengi, verás que um filho teu não foge à luta!

Deputada considera ‘tímida’ participação da mulher nas eleições

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), em discurso no Plenário da Câmara, nesta quarta-feira (17), comemorou o crescimento da participação das mulheres nas eleições municipais, mas destacou que “ele é muito tímido e aquém da participação da mulher na economia e nos destinos do nosso País”. O crescimento do número de prefeitas este ano foi de 31,5% das candidatas.


Ela disse que em artigo publicado na imprensa da Bahia, esta semana, destaca a importância da discussão sobre a reforma política. “Enquanto não houver a discussão de que nas listas partidárias tenhamos alternância de gênero entre homens e mulheres para o financiamento público de campanha, teremos uma permanente exclusão das mulheres da cena política nacional. É excluir 52% da população, 51% do eleitorado. Isso não emancipa uma Nação”, avalia a parlamentar.

Das 5.463 Prefeituras no Brasil, 621 serão comandadas por mulheres nos próximos quatro anos, eleitas no primeiro turno, portanto, apenas 11,37% de mulheres. As mulheres foram eleitas para comandar prioritariamente cidades do interior. Nas capitais, apenas uma foi eleita, Teresa Surita, do PMDB, em Boa Vista (RR). No segundo turno, a senadora Vanessa Grazziotin, do PCdoB do Amazonas, disputa a Prefeitura de Manaus (AM).

Em comparação com anos anteriores, Alice Portugal avalia que “em 1992 éramos 3.900 vereadoras e hoje somos 7.648 Vereadoras; de prefeitas o número é esse que apresento de seiscentas e poucas Prefeitas, mas efetivamente é um crescimento muito tímido em relação à participação masculina”.

De Brasília
Márcia Xavier

Postar um comentário

Postar um comentário