Potengi, verás que um filho teu não foge à luta!

Em vídeo, Romney liga Obama a Chávez, Raúl Castro e Che Guevara

Um novo vídeo da campanha do candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, liga seu rival nas eleições, o atual presidente democrata Barack Obama, a Hugo Chávez, Raúl Castro e Che Guevara.
O vídeo, lançado hoje, é narrado em espanhol e, de acordo com o jornal americano "The Miami Herald", está sendo exibido diversas vezes em três canais hispânicos da Flórida, reduto de latinos nos Estados Unidos.
A propaganda mostra as declarações do presidente da Venezuela, reeleito este ano, dizendo que, se fosse americano, votaria em Obama, e que, se Obama fosse venezuelano, votaria em Chávez. O líder sul-americano deu uma entrevista no último mês de setembro sobre o assunto, dizendo que Obama era "um cara legal".
Em seguida, Mariela Castro, filha do ditador cubano Raúl Castro e sobrinha de Fidel, aparece dizendo que também votaria em Barack Obama. Ela é uma conhecida defensora dos direitos dos homossexuais e recentemente tem elogiado Obama por seu apoio ao casamento gay.
Por fim, o vídeo mostra denúncias feitas pela emissora Fox News e pelo "Miami Herald" de que a Agência de Proteção Ambiental americana, sob o comando de Obama, enviou e-mails celebrando o mês da hispanidade com a célebre imagem de Che Guevara, registrada por Alberto Korda.
"Mitt Romney continua a jogar o jogo de Hugo Chávez, dando a Chávez uma atenção que ele ama e que não merece", disse Dan Restrepo, publicitário da campanha de Obama.

 Estados Unidos e Venezuela têm tido relações pouco amigáveis nos últimos anos, embora os EUA continuem sendo um dos maiores importadores do petróleo venezuelano.
O vídeo é visto como uma tentativa de Romney de se aproximar do eleitorado cubano-americano, que, em geral, costuma apoiar os candidatos republicanos à Presidência. Na quarta-feira, Romney passou pela Flórida em evento de campanha.
Novos ataques
O candidato republicano voltou a atacar Barack Obama hoje, depois de uma pausa nas campanhas presidenciais por causa da tempestade Sandy, que devastou a costa leste americana.
Romney não havia mencionado o nome de Obama nos dois dias anteriores, baixando o tom de oposição enquanto o presidente ajudava na assistência às vítimas de Sandy.

Hoje, o republicano passou pelo Estado da Virgínia, uma das regiões ainda indecisas quanto às eleições deste ano. Em visita a uma fábrica, ele disse que os votos dos locais faziam "uma grande diferença". A Virgínia votou por Obama em 2008.
Romney também acusou Obama de querer aumentar a burocracia federal. Ele fazia referência a uma entrevista dada pelo democrata na segunda-feira, quando ele anunciou a intenção de criar uma nova agência governamental para a criação de empregos, liderada por um "secretário de negócios".
"Criar mais uma cadeira no gabinete de Obama não vai ajudar a criar milhões de empregos para os americanos", disse o republicano. Para Romney, o rival deseja expandir o governo, em vez de impulsionar a iniciativa privada.

 Fonte: diariodonordeste

Postar um comentário

0 Comentários