Potengi, verás que um filho teu não foge à luta!

Brasileira do Greenpeace presa na Rússia é libertada


Brasileira presa após protesto do Greenpeace é libertada na Rússia. Fiança de 2 milhões de rublos (R$ 138 mil) foi paga; Ana Paula Maciel é a primeira ativista do "Arctic Sunrise" a sair da prisão

brasileira greenpeace rússia
Ana Paula Maciel deixou prisão russa (EFE)
A brasileira Ana Paula Maciel, presa na Rússia após participar de um protesto do Greenpeace no Ártico, foi libertada nesta quarta-feira (20/11), anunciou a organização por meio do Twitter. Na terça (19/11), ela havia ganhado o direito a soltura mediante fiança.
O valor pago foi de 2 milhões de rublos (R$ 138 mil). Outros 20 manifestantes também conseguiram direito à fiança.
“A libertaram há 20 minutos. Ela me disse que está muito feliz”, disse à Agência Efe a porta-voz do Greenpeace na cidade russa, Tatiana Vasilieva. Ana Paula precisará, no entanto, ficar no país até o final do processo.
A embaixada brasileira em Moscou assinou uma carta garantindo que a ativista não deixará o território russo.
Os tripulantes da embarcação “Arctic Sunrise”, usado no protesto, são acusados de vandalismo por tentar invadir uma plataforma flutuante do consórcio russo Gazprom.

Eles vêm da Rússia, EUA, Argentina, Reino Unido, Canadá, Itália, Ucrânia, Nova Zelândia, Holanda, Dinamarca, Austrália, Brasil, República Tcheca, Polônia, Turquia, Finlândia, Suécia e França.
Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo – em viagem oficial à Rússia – afirmou que estava “muito feliz” com a possibilidade da libertação de Ana Paula.
“Fico satisfeito que a situação tenha se desenvolvido assim, que ela possa responder perante a justiça russa em liberdade”, acrescentou o ministro, em entrevista coletiva em Moscou com seu colega russo, Sergei Lavrov.
Agência Efe e Opera Mundi

Postar um comentário

Postar um comentário