Potengi, verás que um filho teu não foge à luta!

Está no ar o cadastro para receber a Renda Básica Emergencial. Saiba tudo sobre o direito conquistado com sua luta



Nesta terça-feira (7) entraram no ar os canais de cadastro para receber a Renda Básica Emergencial, benefício aprovado no Congresso Nacional. O auxílio terá a duração de três meses e vai auxiliar as famílias mais pobres e de trabalhadores autônomos ou informais. Saiba se você tem direito ao benefício, se precisa se cadastrar e as principais informações sobre este direito conquistado através da pressão popular.
– Quem precisa se cadastrar no novo site/aplicativo/telefone disponibilizado pelo governo nesta terça (7)?
As pessoas que precisam se cadastrar para pedir o benefício são as que não estão registradas no CadÚnico, não recebem Bolsa Família e não pagam INSS. Os trabalhadores autônomos ainda não cadastrados terão o pagamento do benefício realizado até 48 horas depois da conclusão do cadastro no aplicativo.
– Onde acesso para me cadastrar para receber o benefício?
Você pode se cadastrar pelo site, pelo aplicativo que pode ser baixado para IOS e Android, ou pelo telefone 111.
– Quem NÃO precisa se cadastrar no novo portal do governo?
Quem já está cadastrado no CadÚnico, é beneficiário do Bolsa Família ou já contribui regularmente para o INSS. O governo consegue avaliar se você tem direito à Renda Básica a partir destes cadastros.
– De quanto é o benefício?
Cada família pode acumular no máximo dois benefícios (R$ 1.200,00). Se a mulher trabalhadora sustentar o lar sozinha também terá direito a R$ 1.200,00. Ou seja, as duas pessoas da família receberão R$ 600 cada.
– Qual a duração da Renda Básica Emergencial?
Três meses.
– Quem pode receber o benefício?
Todos que trabalham sem carteira assinada, quem é MEI (Microeemprendedor Individual), ou desempregados acima dos 18 anos que estejam no Cadastro Único, desde que atendam os critérios de renda estabelecidos.
– Quem NÃO pode receber?
Pessoas que já recebem algum benefício do governo, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), seguro-desemprego, aposentadoria ou pensão. O Bolsa Família é a única exceção. Funcionários públicos, mesmo em contratos temporários, também não podem receber.
Famílias com renda mensal total superior a três salários mínimos (R$ 3.135) ou famílias com renda per capita (por membro da família) maior que meio salário mínimo (R$ 522,50) também não podem receber a Renda Básica Emergencial. Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018 também está fora.
– Quem recebe Bolsa Família pode receber a Renda Básica Emergencial?
Sim. É o único benefício que mantém o trabalhador dentro dos pré-requisitos para solicitar a Renda Básica. Se o pagamento de até R$ 1.200 for mais vantajoso, haverá uma substituição automática e a pessoa receberá apenas esse auxílio temporário. No fim dos três meses, se continuar atendendo aos critérios, volta a receber o Bolsa Família.
– O que é o Cadastro Único?
O CadÚnico permite às famílias de baixa renda o acesso aos programas sociais do governo federal, como Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica e BPC (Benefício de Prestação Continuada).
– Preciso ter o CadÚnico para receber?
Não. Quem tem o cadastro deve receber o auxílio primeiro, assim que ele for regulamentado, mas trabalhadores que não estão no CadÚnico também têm direito à Renda Básica Emergencial. Terão apenas de fazer autodeclaração por meio das plataformas digitais do governo que foram divulgadas nesta terça (7).
– Onde será feito o pagamento da Renda Básica emergencial?
O pagamento deverá ser feito nos bancos federais, como Caixa, Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste, lotéricas e aplicativos desses bancos.
– Não tenho conta no banco, como vou receber?
Vai ser aberta uma conta do tipo poupança social digital, de abertura automática, em nome dos beneficiários, que terá isenção de cobrança de tarifas de manutenção e direito a uma transferência bancária por mês, sem custos e em qualquer banco.
Com informações: Psol Nacional

Postar um comentário

0 Comentários